SANTOS FC

Sobre o Clube

HISTÓRIA

O Santos Futebol Clube foi fundado no dia 14 de abril de 1912, por iniciativa de três esportistas da cidade que convocaram uma assembleia na sede do Clube Concórdia para a criação de um time de futebol. Durante a reunião, surgiu a dúvida sobre o nome da agremiação, mas os participantes da reunião aclamaram, por unanimidade, a proposta de Santos Futebol Clube. O primeiro jogo da nova equipe ocorreu em 15 de setembro daquele ano. O adversário foi o Santos Athletic Club, mais conhecido como Clube dos Ingleses, e o Santos Futebol Clube venceu por 3 a 0.

No início de 1913, o Santos recebeu um convite da Liga Paulista de Futebol para disputar o campeonato estadual daquele ano. Esta foi a primeira competição oficial disputada pelo clube, cuja estreia aconteceu no dia 1º de junho, diante do Germânia. O resultado, porém, não foi nada animador: uma derrota por 8 a 1. Três semanas depois, no dia 22 de junho, o time santista conquistou sua primeira vitória em uma competição, por 6 a 3, diante do Corinthians, em pleno Parque São Jorge.

Em meio às dificuldades em enfrentar os times da capital, especialmente por conta da distância e deslocamentos, os primeiros anos de vida do novo clube são de firmação e de construção de um legado. Em 1916, é inaugurado o estádio da Vila Belmiro, que mais tarde ganharia o nome Urbano Caldeira, homenageando o antigo zagueiro, treinador e membro da diretoria. Ainda hoje, o Santos manda seus jogos na centenária praça de esportes erguida logo em seus primeiros anos.

O primeiro grande time santista surge em sua segunda década de existência. Em 1927, com 100 gols marcados em 16 jogos do Campeonato Paulista, a equipe promove uma revolução ofensiva. O primeiro título importante, porém, não acontece, já que o Palestra Itália termina a competição com um ponto a mais.

Anos depois, chega a primeira taça. No Campeonato Paulista de 1935 o time da Vila Belmiro foi até o Parque São Jorge precisando vencer o Corinthians para ficar com o título. Caso contrário, o alvinegro da capital decidiria o torneio com o Palestra Itália que, por sua vez, precisava vencer para forçar um jogo-desempate com o alvinegro praiano. Com uma vitória por 2 a 0, os santistas frustraram os rivais e ficaram com o título.

A conquista inédita antecede uma fase ruim na história do clube que não consegue manter a rotina de conquistas importantes nos anos 40. Tudo muda a partir da década seguinte e a formação de um time que seria considerado um dos melhores de todos os tempos. Bicampeão paulista em 1955 e 1956, o já bom time santista viu chegar quem se tornaria rei e mudaria para sempre a sua história: Pelé.

Entre 1957 e 1974, o Santos conquista todos os títulos possíveis. São dois Mundiais de Clubes e duas Libertadores da América (1962 e 1963), seis títulos brasileiros (1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968), quatro taças do Torneio Rio-SP (1956, 1963, 1964 e 1966), 10 conquistas estaduais (1958, 1960/61/62, 1964/65, 1967/68/69 e 1973) dentre tantas outras conquistas.

Finda a ‘Era Pelé’, o Santos estava consolidado entre os grandes clubes do futebol do Mundo e sua torcida com a galeria de troféus e ídolos recheadas. Nomes como Gilmar, Lima, Zito, Clodoaldo, Carlos Alberto, Mengálvio, Edu, Dorval, Coutinho, Pepe e o Rei Pelé, dentre outros, eternizaram seus nomes na história do clube e do futebol, inclusive contribuindo com o tricampeonato mundial da Seleção Brasileira em 1958, 1962 e 1970.

Já sem a figura do Rei, o Santos voltou a ser campeão com um time de jovens até então desacreditados. O time que levantou a taça do Paulistão de 1978 -já em 1979- ficou conhecido como ‘Meninos da Vila’, marca que passou a fazer parte da história do clube. Pouco tempo depois, em 1984, foi campeão paulista pela 15ª vez, no mesmo ano em que conquistou o inédito título da Copa São Paulo de Futebol Júnior. O que viria pela frente, porém, era o pior momento de sua história.

Entre 1985 e 2001, o time santista amargou um jejum de títulos importantes. Embora tenha conquistado o Torneio Rio-SP em 1997 e a Conmebol em 1998, o principal momento neste período foi o vice-campeonato brasileiro em 1995.

Após inúmeras frustrações, novos ‘Meninos da Vila’ fariam o santista voltar a sorrir a partir de 2002. Novamente desacreditado, o time da Vila Belmiro surpreendeu ao bater o favorito Corinthians na decisão. Após o vice-campeonato na Libertadores em 2003, novo título brasileiro conquistado em 2004 transformou o clube em octacampeão nacional.

Bicampeão paulista em 2006 e 2007, o Santos iniciava período histórico em sua história com o Campeonato Paulista. De 2009 à 2016, o time esteve em todas as finais do estadual, conquistando as edições de 2010, 2011, 2012, 2015 e 2016. Com essas sete conquistas, o clube salto para 22 títulos paulistas, empatando com o Palmeiras como o segundo maior vencedor da história.

Grande parte dessas conquistas teve como estrela principal o atacante Neymar. Mais um ‘Menino da Vila’, ele comandou o time além dos Paulistas, já que ganhou o inédito título da Copa do Brasil em 2010, o tricampeonato da Libertadores em 2011 e a Recopa Sul-Americana em 2012, ano do centenário do Clube.

Nesta mesma época, o time da Vila Belmiro comemorou o bicampeonato de 2012 e 2013 da Copa São Paulo de Futebol Júnior, além de fazer história no futebol feminino. A equipe conhecida como ‘Sereias da Vila’ conquistou o Paulista de 2007, 2010, 2011 e 2018; a Copa do Brasil de 2008 e 2009; o Campeonato Brasileiro de 2017; e a Taça Libertadores da América de 2009 e 2010.